CELEBRAÇÕES VOCACIONAIS

O Sonho de Deus
 

1. Oração inicial e acolhida

Anim.: Amigos e irmãos estamos iniciando uma caminhada importante
em nossa comunidade: a reflexão sobre nossa responsabilidade
vocacional. Todos nós, desde o ventre materno fomos sonhados
e escolhidos por Deus para viver uma vida em plenitude. Sejam bem-vindos
e iniciemos o nosso encontro de oração invocando a Santíssima
Trindade:

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
(poderá ser cantada a seguinte invocação: “Em nome do Pai…”)

Anim.: Que a graça de Deus que é nosso Pai, o amor
de Jesus Cristo, seu amado Filho e a força renovadora do Espírito
Santo estejam com todos.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.
Bendito seja Deus que nos quer irmãos e, também, que nos realizemos plenamente com pessoas.
(Canto de Animação)

2. Momento penitencial

Anim.: Pedir perdão a Deus é reconhecer que somos falhos e que nem sempre cumprimos com nossos compromissos cristãos. Vamos agora expressar nosso pedido de arrependimento.

(o Animador e a equipe litúrgica poderá usar de criatividade para o ato penitencial: poderá ser utilizado um canto; pedidos espontâneos de perdão; no final deste subsídio existem sugestões de algumas dinâmicas penitenciais. Lembre-se, prepare com cuidado)

Anim.: (após o ato penitencial) Que Deus Todo-Poderoso perdoe nossos pecados e nos conduza a vida eterna.

Todos: Amém. Obrigado Senhor pela sua infinita misericórdia!

3. Hino de louvor
(o Animador incentiva o grupo para o momento de louvor: os que se
seguem abaixo e outros espontâneos)

Anim.: Louvemos e glorifiquemos o nosso Deus por todos os benefícios
que Ele nos concedeu:
Lado 1: Por ter criado todas as coisas. As da terra e as do céu!
Todos: Nós te glorificamos Senhor!
Lado 2: Por nos ter sonhado desde o ventre materno. E por nunca nos
ter abandonado!
Todos: Nós te glorificamos Senhor!
Lado 1: Por sermos escolhidos e eleitos. Amados e queridos pelo Pai!
Todos: Nós te glorificamos Senhor!
(motivos de louvores espontâneos)

4. A Palavra de Deus

Anim.: Jesus mostra que sua mensagem é incompatível com qualquer instituição opressora e que sua missão é conduzir para fora da influência dela os que acreditam, afim de formar uma comunidade que possa ter vida plena e liberdade. Jesus é modelo de Pastor, quem se comprometer com ele, libertar-se-á da opressão.

Canto de aclamação da Palavra de Deus
(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria
do lugar)

Leitor 1: Proclama o texto de Jo 10,1- 11

5. Motivação e partilha

Anim.: O sonho de Deus é um mundo cada vez mais humanizado
de homens e mulheres vivendo plenamente suas vidas

Leitor 1: O sonho de Deus é que cada pessoa descubra e viva
sua vocação.

Leitor 2: Vocação é o chamado de Deus que tem como finalidade a realização plena da pessoa humana.

Anim.: É um gesto gracioso de Deus que visa a plena humanização
do Homem

Leitor 1: Vocação é Dom, é graça, é eleição cuidadosa, visando a construção e Reino de Deus.

Leitor 2: Toda pessoa é vocacionada, é eleita por Deus para uma missão específica.

Anim.: Muitas vezes, em nossas comunidades as pessoas não têm consciência de que são chamadas.

Leitor 1: Acabam vivendo à margem da comunidade e não encontram o sentido de suas vidas.

Leitor 2: A grande missão da Igreja é ajudar as pessoas encontrarem o seu lugar.

Todos: O grande sonho de Deus é a vida plena para as pessoas.

Canto de Animação

(o animador motiva o grupo para um momento de partilha – poderá
aprofundar o texto que foi lido acima ou debater sobre as seguintes questões)

Na sua opinião, qual é o sonho de Deus para as pessoas?
O que você entendeu sobre o texto do Evangelho?
O que significa vida plena?
Canto de animação

6 – Momento de oração

Anim.: Peçamos por todos os sacerdotes, religiosos e leigos que sem medo deixaram tudo e se lançaram à missão de Evangelizar povos.

Todos: Senhor, dai-nos a graça de termos sempre missionários
dispostos a assumir os desafios de Evangelizar.

Leitor 1: Pelos Missionários, que estão Alem-Fronteiras, para que vencendo as dificuldades consigam realizar o projeto que
Deus lhes confiou.

Leitor 2: Que o Espírito Santo de Deus, desperte em nós o verdadeiro espírito missionário . Rezemos

Leitor 3: Para que nossa comunidade desperte o dom da missionariedade.
Rezemos.

Leitor 4: Pelas vezes que não fomos cultivadores das vocações missionárias. Deixando de rezar pelos nossos missionários.

Leitor 5: Pela capacidade dos missionários em inculturar-se, dialogar e escutar seu povo.

Intenções livres
(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai; ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).
Canto de animação

7- Gesto concreto
Sendo de costume da comunidade, poderá ser distribuída pelo Ministro da Eucaristia, a Santa Comunhão. Obs.: Fazer a preparação como de costume.

8- Gesto concreto
Nossa comunidade está refletindo suficientemente sobre as vocações?

Quais são os passos concretos que poderemos dar?

Quem é que vai acompanhar a Pastoral Vocacional em nossa comunidade?

9 – Oração final
O Animador motiva a comunidade para rezar a Oração Final:
Todos: Senhor Jesus Cristo, enviado pelo Pai e consagrado pelo Espírito, que quisestes confiar aos vossos discípulos o anúncio
da Salvação,
para que chegasse aos confins da terra e até ao fim dos tempos, suscitai na América Latina uma nova primavera de vocações. Vós, que conheceis cada um pelo seu nome e tendes palavras de vida eterna, renovai em todo o Continente da esperança o convite a seguir-vos, deixando tudo, para que muitos jovens se entreguem a Vós no ministério sacerdotal e na vida consagrada, dedicando-se inteiramente o serviço do Evangelho.Vós, que confiais aos vossos amigos as palavras do Pai, sede o único Senhor e Mestre de todos os vocacionados, derramai sobre as comunidades eclesiais os dons do vosso Espírito, para que uma nova geração de apóstolos anuncie a vossa Ressurreição e convoque todos na vossa Igreja.Renovai em todos os batizados o premente apelo à nova Evangelização para que sejam testemunhas da vossa Verdade e da, vossa Vida, no meio dos homens e das mulheres do nosso tempo.Nós Vô-lo pedimos por intercessão da Virgem Maria, modelo da entrega total ao vosso serviço e Mãe de todos os que chamais a ser apóstolos do Vosso Reino. Amém.

*************************************************************

Chamados para o amor: vocação fundamental
 
1. Oração inicial e acolhida
Anim.: Sejam todos bem-vindos para este encontro de oração e de reflexão vocacional. Quando falamos em vocação nos recordamos do grande amor que Deus tem para com seus filhos. Somos dádivas (presentes) de sua infinita bondade. Hoje vamos refletir sobre a vocação que é o fundamento de nossas
vidas: o amor, a doação, a realização plena de nossa capacidades. Coloquemo-nos numa atitude de abertura e de acolhimento de sua graça e junto digamos:

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
(poderá ser cantada a seguinte invocação: “Em nome do Pai…”)

Anim.: Que a graça de Deus que é nosso Pai, o amor de Jesus Cristo, seu amado Filho e a força renovadora do Espírito Santo estejam com todos.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.Bendito seja Deus que deseja que todos sejamos felizes e que não existam pessoas sem sentido da vida.
(canto de Animação)

2. Momento penitencial}
Anim.: Queremos pedir perdão a Deus por nossas fraquezas e pelas vezes que não somos fiéis aos seus apelos. Fomos criados para o amor, para a realização, mas por causa das nossas fraquezas, acabamos comprometendo o projeto divino. Por isso, peçamos perdão.

(o Animador e a equipe litúrgica poderá usar de criatividade para o ato penitencial: poderá ser utilizado um canto; pedidos espontâneos de perdão; no final deste subsídio existem sugestões de algumas dinâmicas penitenciais. Lembre-se, prepare com cuidado)

Anim.: (após o ato penitencial) Que Deus todo-poderoso perdoe nossos pecados e nos conduza a vida eterna.
Todos: Amém. Obrigado Senhor pela sua infinita misericórdia!

3. Hino de louvor
(O Animador motiva o grupo para cantar um hino de louvor)

4. A palavra de Deus

Anim.: Paulo escreve um hino de louvor em resposta do homem ao Deus
Pai, fonte de toda ação criadora e salvadora, que se apresenta através de seu Filho Jesus Cristo.
Canto de aclamação da Palavra de Deus

(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria do lugar)

Leitor 1: Proclama o texto de Ef 1, 3-14

5. Motivação e partilha

Anim.: Para compreendermos em profundidade o significado da vocação,
precisamos fazer a distinção entre: Vocação Fundamental e Vocação específica;

Leitor 1: Entendemos por vocação fundamental o chamado de cada pessoa à vida, a ser Filho de Deus, a ser cristão, a ser Igreja. A tomar consciência de que todos somos irmãos e fazemos parte do Reino de Deus.

Leitor 2: Pela revelação sabemos que todos os homens foram chamados por Deus à santidade (Gn 1,26; 2,7; 1Pe 1, 15-16). É um chamado a desenvolvermos plenamente todas as nossas potencialidades. Todas as vocações específicas derivam desta vocação fundamental.

Todos: Pelo Batismo todos fomos chamados a viver a santidade.

Leitor 1: A Pastoral Vocacional deveria ser a Pastoral da Vocação Fundamental, sob a qual é possível descobrir a Vocação específica.

Leitor 2: A Vocação Fundamental é o chamado à existência. Ato da suprema bondade divina. Chamado que todo homem e mulher recebeu para realizar plenamente a potencialidade que lhe é inerente.

Leitor 1: A origem da Vocação Fundamental cristã está em Jesus Cristo e em sua palavra.

Todos: É um projeto de vida inaugurado por Cristo.

Leitor 1: O efeito é acordar a pessoa, ressuscitá-la, dar-lhe nova vida e em plenitude.

Leitor 2: A finalidade é um novo conhecimento. Um conhecimento ativo da verdade; um novo estado de vida; um chamado à existência cristã (“Eu era cego mas agora vejo a luz” Jo 9,25).

Todos: Consiste na comunhão com Cristo e numa atuação profética no mundo, no meio das tribulações.

Anim.: A vocação fundamental é o chamado para amar plenamente.
Canto de animação

(o animador motiva um momento de partilha a partir das questões abaixo)

a) Por que Deus escolheu Jeremias?
b) O que significa chamado a viver a santidade?
c) Por que muitas pessoas não se questionam quanto à sua vocação?
Canto de animação

6 – Momento de oração
Anim.: Apresentemos, agora, espontaneamente, nossos pedidos a Deus.
(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai; ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).
Canto de animação

7- Gesto concreto
Sendo de costume da comunidade, poderá ser distribuída pelo Ministro da Eucaristia, a Santa Comunhão. Obs.: Fazer a preparação como de costume.

8 – Gesto concreto

a) Para que tenhamos mais vocações na Igreja, deveremos ter um processo de evangelização bem intensificado. Como é que está a catequese em nossa comunidade?
b) Ela está ajudando as crianças e adolescentes a se encontrarem com Jesus Cristo?
c) Como poderemos tornar nossa catequese mais dinâmica?
Canto de animação

9 – Oração final
O animador motiva o grupo a rezar a Oração final

Todos: Ó Jesus, Bom Pastor, suscita, em todas as comunidades
paroquiais,
sacerdotes e diáconos, religiosos e religiosas, leigos consagrados e missionários, segundo as necessidades de todo o mundo que Tu amas e queres salvar. Confiamos-Te dum modo particular a nossa comunidade.

Cria em nós o clima espiritual dos primeiros cristãos, para que possamos ser um cenáculo de oração na recepção amorosa do Espírito Santo e dos seus dons. Assiste os nossos pastores e todas as pessoas consagradas: guia os passos daqueles que acolheram generosamente o teu chamamento e se preparam para as Ordens sagradas ou à Profissão dos conselhos evangélicos.

Dirige o teu olhar de amor para tantos jovens bem dispostos e convida-os a seguir-te. Ajuda-os a compreender que só em Ti eles podem realizar-se em plenitude. Ao confiar estes grandes desejos do Teu Coração à intercessão poderosa de Maria, Mãe e Modelo de todas as vocações,suplicamos-Te que sustentes a nossa fé na certeza de que o Pai ouvirá o que Tu mesmo nos mandastes pedir.
Amém.

Canto Final

*****************************************************

Como despertar uma comunidade para a dimensão vocacional
 
1. Oração inicial e acolhida

Anim.: Amigos e irmãos, sejam bem-vindos para mais este momento
de celebração e de oração. O objetivo central deste encontro é despertar a comunidade para que assuma uma cultura vocacional, isto é, para que ssuma uma nova maneira de compreender a vocação e descubra como poderá colaborar para o surgimento de novos vocacionados. Sabemos que Deus
nunca abandona a sua Igreja. Ele continua sempre chamando, mas precisa
de nossa colaboração. Por isso rezemos:

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
(poderá ser cantada a seguinte invocação: “Em nome do Pai…”)

Anim.: Que a graça de Deus que é nosso Pai, o amor de Jesus Cristo, seu amado Filho e a força renovadora do Espírito Santo estejam com todos.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Bendito seja Deus que continua abençoando a sua Igreja com muitas vocações.
(Canto de Animação)

2. Momento penitencial

Anim.: Perdão Senhor, por nem sempre assumirmos nosso compromisso
vocacional. Por não incentivarmos nossos jovens e adolescentes. Por muitas vezes cruzarmos os braços e não apoiarmos as vocações. Reconheçamo-nos pecadores e peçamos perdão:

(o Animador e a equipe litúrgica poderá usar de criatividade para o ato penitencial: poderá ser utilizado um canto; pedidos espontâneos de perdão; no final deste subsídio existem sugestões de algumas dinâmicas penitenciais. Lembre-se, prepare com cuidado)

Anim.: (após o ato penitencial) Que Deus todo-poderoso perdoe nossos pecados e nos conduza a vida eterna.

Todos: Amém. Obrigado Senhor pela sua infinita misericórdia!

3. Hino de louvor
(o Animador motiva a comunidade para apresentar motivos de louvor.
Após cada invocação todos poderão cantar)
Todos: Honra, glória, poder e louvor, a Jesus nosso Deus e Senhor

4. A Palavra de Deus
Anim.: O alicerce e raiz do amor tem como finalidade conservar a unidade do corpo de Cristo. Unidade não significa uniformização, pois Deus concede dons diferentes a cada pessoa. Essa unidade dá coesão à comunidade para que ela não seja dominada por uma doutrina que possa destruir.

Canto de aclamação da Palavra de Deus

(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria do lugar)Leitor 1: Proclama o texto de Ef 4, 1-16

5. Motivação e partilha
Anim.: Vejamos o que nossa comunidade poderá fazer para despertar
vocações:

Leitor 1: O lugar privilegiado para a motivação vocacional é a Liturgia. Uma celebração bem preparada e vivida torna-se fonte fecunda de novas vocações. A equipe vocacional deve preparar as celebrações com muito carinho, tendo os seguintes cuidados:

Leitor 2: Escolher muito bem os cantos; as frases; os cartazes; preparar
alguma lembrança para ser distribuída no final da celebração.

Leitor 3: Preparar com cuidado a homília ou reflexão, os comentários, a preparação das preces…

Anim.: Outro espaço muito importante é a catequese. É através dela que as crianças e adolescentes se encontram com Jesus Cristo e aprofundam a sua fé. Os catequistas devem ter uma grande atenção vocacional.

Leitor 1: Para que isto aconteça é importante preparar bem a catequese.

Leitor 2. Organizar: catequeses vocacionais; jograis, teatros; concursos
de cartazes, poesias; entrevistas; encontros vocacionais.

Todos: O catequista é um dos primeiros animadores vocacionais.

Anim.: O trabalho com os Adolescentes e Jovens é fundamental para termos mais vocações em nossas comunidades. Dentro da opção pelos jovens, propõe Puebla:

Leitor 1: “Uma pastoral da Juventude que leve em conta a realidade
social de nosso continente, atenda ao aprofundamento da fé para comunhão com Deus e os homens; oriente a opção vocacional aos jovens; ofereça-lhes elementos para se converterem em fatores de participação ativa na Igreja e na transformação da sociedade”. (Puebla 1187).

Leitor 2: Atividades que a comunidade poderá desenvolver com
os adolescentes e jovens:

Leitor 3: Cursos, encontros, palestras, retiros vocacionais; festivais, 
gincanas com temática vocacional; concursos de poesia, música, teatro; atividades missionárias; festas e promoções para arrecadar fundos para vocações.

Todos: Os jovens evangelizados evangelizarão outros jovens.

Anim.: Não podemos esquecer o trabalho junto às Famílias – A Pastoral Vocacional dá atenção toda especial à família, lugar de nascimento de todas as vocações. A Pastoral Vocacional e Familiar devem caminhar unidas na busca de caminhos novos que ofereçam às crianças, adolescentes
e jovens, reais oportunidade vocacionais.

Todos: As vocações nascem na família.

Leitor 1: A responsabilidade vocacional é de todos. Nossa Comunidade tem uma grande missão. Depois da família a comunidade é o lugar ideal para o trabalho da Pastoral Vocacional.

Leitor 2: É ali que se realiza a educação da fé. O Papa João Paulo II nos propõe quatro condições para a fecundidade vocacional da comunidade:

Leitor 3: “sede uma comunidade viva; sede uma comunidade orante; sede uma comunidade que chama; sede uma comunidade missionária”.

Todos: Nossa comunidade tem o dever de despertar vocações.

Leitor 1: Citamos algumas sugestões para as equipes vocacionais paroquiais: missas e cultos vocacionais; reuniões para grupos de famílias nas omunidades; diálogo com os pais sobre a vocação dos filhos; horas santas, novenas, rosário vocacional; promoção no campo financeiro: festas, bingos,
coletas de recursos financeiros.

Todos: Todos somos responsáveis para despertar vocações.
Canto de animação.
(o animador motiva o grupo para o momento de partilha baseando-se
nas questões abaixo:)

a) O que nós entendemos do texto lido?
b) Qual é a mensagem central do texto bíblico da carta aos Efésios?
c) Que outras sugestões poderemos citar para ajudar no despertar vocacional da comunidade?
Canto de animação

6 – Momento de oração:

Anim.: Elevemos nossas preces ao Senhor, pedindo o aumento das vocações
e a perseverança dos vocacionados, sacerdotes, religiosos e religiosas, dos líderes leigos, dizendo a cada invocação:

Todos: Senhor, dai-nos o Dom de Servir!
Leitor 1: Para que tenhamos, em casa, a coragem de incentivar as vocações:
Leitor 2: Para que tenhamos um coração grande para amar e servir a todos:
Leitor 1: Pelos jovens que pensam tornar-se sacerdotes, para que encontrem apoio de toda a comunidade:
Leitor 2: Para que sintamos sempre as necessidades da comunidade, dispondo-nos a ajudar em tudo:
Leitor 1: Para que sejamos sempre prontos e disponíveis para
ajudar os mais pobres e excluídos da sociedade:
Intenções livres

(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai; ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).
Canto de animação

7- Gesto concreto

Tendo de costume da comunidade, poderá ser distribuída pelo Ministro da Eucaristia, a Santa Comunhão. Obs.: Fazer a preparação como de costume.

8 – Gesto concreto

a) Existe Pastoral Vocacional em nossa comunidade?
b) Como poderemos criá-la ou impulsioná-la?

9 – Oração final
O animador motiva o grupo a rezar a Oração Final

Todos: Senhor da Messe e Pastor do Rebanho, faz ressoar em nossos
ouvidos teu forte e suave convite: “Vem e segue-me”! Derrama
sobre nós o teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e generosidade para seguir tua voz. Senhor, que a Messe não se perca por falta de operários.
Desperta nossas comunidades para a Missão. Ensina nossa vida a ser serviço. Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa.Senhor, que o Rebanho não pereça por falta de Pastores. Sustenta a fidelidade de nossos bispos, padres e ministros. Dá perseverança a nossos seminaristas. Desperta o coração de nossos jovens para o ministério pastoral em tua Igreja. Senhor da Messe e Pastor do Rebanho, chama-nos para o serviço de teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder SIM.

Amém.

Canto Final

 

Todos somos chamados
 

(O(a) animador(a) acolhe os participantes e manifesta sua alegria
em recebê-los para a reunião. O ambiente deve estar preparado
com a bíblia, flores, velas e algo que lembre as vocações)

1 – Oração inicial e acolhida
Anim.: Amigos e irmãos, sejam bem-vindos. Vamos refletir sobre a realidade vocacional na Igreja do Brasil. Iniciemos o nosso encontro invocando a santíssima Trindade.

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
(pode ser cantado o canto: em nome do Pai….)

Anim.: O Senhor, que encaminha nossos corações para o amor e a constância de Cristo, pelo Espírito Santo, esteja convosco.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.
Canto inicial

2 – Motivação
Anim.: Desde 1981 o mês de agosto é dedicado às vocações sacerdotais, religiosas e leigas. É um momento importante para refletirmos sobre a nossa responsabilidade vocacional.

Leitor 1: No 1° Domingo celebramos o dia do Padre e, por conseguinte, de todas as vocações sacerdotais.

Leitor 2: No 2° Domingo de agosto recordamos o dia dos pais e, por esse motivo, lembramos a vocação a ser pai e mãe, a gerar vida, a continuar colaborando com a obra criadora de Deus.

Leitor 3: No terceiro final de semana de agosto celebramos a Assunção de Maria, a mãe de Jesus. Maria é modelo de toda vida religiosa. Por essa motivação recordamos as vocações religiosas na Igreja.

Todos: Se ouvires a voz de Deus, chamando sem cessar. Se ouvires
a voz do tempo, mandando esperar. A decisão é tua (bis). São muitos os convidados (bis). Quase ninguém tem tempo (bis).

Anim.: No quarto domingo de agosto recordamos os catequistas e todos
os ministérios leigos. São inúmeras as pessoas que doam um importante espaço de seu tempo para a comunidade.

Leitor 1: O trabalho pelas vocações é missão de todo o batizado. Todos somos responsáveis para despertar vocações na comunidade.

Leitor 2: Deus chama a todo momento. Sabemos que é Deus quem escolhe, o Filho quem chama e o Espírito Santo quem envia para a missão.

Leitor 3: Todo batizado tem uma vocação. Para poder ser feliz e realizar-se plenamente é necessário descobrir qual é o chamado de Deus.

Todos: Põe a semente na terra, não será em vão. Não te preocupe a colheita, plantas para o irmão. (bis)

Anim.: A primeira obrigação de orientar vocacionalmente os filhos é dos pais. O pai e a mãe devem colaborar para que os filhos encontrem o seu lugar.

Leitor 1: Na comunidade o trabalho amigo e sensível dos padres é importantíssimo para termos mais vocações para a Igreja. Seu testemunho alegre, sincero e amigo ajuda no discernimento vocacional.

Leitor 2: Os catequistas também desempenham uma importante missão. São eles que estão sempre em contato com as crianças, jovens e adolescentes. Devem estar atentos aos sinais vocacionais.

Leitor 3: A alegria, a sensibilidade, a prontidão para servir, o gosto pela comunidade, o desejo de querer crescer, o gosto pela oração e pelos sacramentos são importantes sinais vocacionais.

Todos: Te amarei, Senhor! Te amarei, Senhor! Eu só encontro a paz e alegria bem perto de ti! (bis)

Anim.: Todos na comunidade, padres, irmãs, irmãos, catequistas, ministros, professores, animadores de grupo de adolescentes e jovens são responsáveis para chamar mais pessoas para a missão de Jesus. o que estamos fazendo?

Todos: Quem é que vai? Quem é que vai? Quem é que vai nessa barca de Jesus, Quem é que vai? (bis)

3 – Olhando a vida
(O animador motiva alguém do grupo para contar um fato da vida que lembre o texto que foi lido. Pode ser algo real vivenciado pela pessoa; pode ser alguma história edificante que ouviu algum dia; pode ser o exemplo de algum santo. Vale aqui a criatividade das pessoas. No final da exposição, os participantes poderão falar algo para complementar o fato da vida)

4 – A palavra de Deus
anim.: Jesus chamou os apóstolos para serem seus colaboradores na missão de anunciar o Reino. Marcos é claro: Jesus chamou aqueles que ele quis.
Canto de aclamação da Palavra de Deus

(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica
para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria do lugar)

Leitor 1: Proclama o texto de Mc 3, 13-19

5 – Momento da partilha
E
ste é um momento importante do encontro. Todos devem participar
com suas opiniões e com seus questionamentos. O animador do grupo
deverá ter lido este texto anteriormente e se preparado para ajudar
o grupo. Em seguida, apresentamos algumas perguntas para ajudar na reflexão. O grupo é livre para seguir essa metodologia ou escolher outra.

a) O que este texto nos quer transmitir?
b) Como é que poderemos colaborar para despertar mais vocações?
c) Por que Jesus chamou os discípulos?
Canto de animação

6 – Momento de oração
Anim.: Peçamos a Maria, Rainha dos Apóstolos, que dê especial atenção aos nossos Sacerdotes e Religiosos, que o sim dado ao chamado de Deus seja o trabalho entre os irmãos.

Todos: Mandai operários para a messe.

Leitor 1: Para que o Papa João Paulo II consiga reunir todos os povos no amor de Cristo Jesus.

Leitor 2: Para que todos os padres tenham Cristo como sumo sacerdote
e guia na realização de seu ministério.

Leitor 3: Para que os jovens respondam com humildade e disponibilidade
ao chamado de Deus, assumindo com amor e responsabilidade seu chamado.

Leitor 4: Pelos sacerdotes e religiosos que doaram suas vidas à serviço do Reino de Deus, para que sejam perseverantes a alegres em cumprir sua missão.

Leitor 5: Pelos nossos bispos para que tenham saúde e força para continuar a missão, que assumiram de pastorear o povo de Deus, e orientar a sua Igreja.
Intenções livres

(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai; ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).
Canto de animação

7 – Gesto Concreto
Todos os encontros devem levar o grupo a assumir um gesto concreto.
Deixamos os animadores livres para decidirem em grupo, o que fazer. É
importante na escolha do ato a ser feito, que se leve em conta o que foi
lido na Palavra de Deus e, depois, partilhado. São muitas as sugestões
– tarefas pessoais: leitura; oração; boa ação… ou tarefas de cunho social: ajuda a alguém carente, doente, desempregado, afastado da comunidade. O que faremos nesses próximos dias? Usem de criatividade, preparem com alegria o gesto a ser feito.

8 – Conclusão
O animador motiva para que todos venham no próximo encontro e pede, aos presentes, que convidem outras pessoas da comunidade. Rezar a oração pelas vocações que está na última capa do livro e, depois, canto final.

***********************************************************************

Os ministérios na Igreja
 

               

            (O(a) animador(a) acolhe os participantes e manifesta sua alegria em recebê-los para a reunião. O ambiente deve estar preparado com a bíblia, flores, velas e algo que lembre as vocações)

 1 – Oração inicial e acolhida

Anim.: Amigos e irmãos, a vocação é um dom de Deus, dirigido a cada pessoa. Dom é resente, é graça, é carisma, é inclinação, é facilidade nata para fazer algo. Hoje vamos refletir sobre nossos dons e os ministérios na Igreja. Rezemos juntos:

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

(pode ser cantado o canto: em nome do Pai….)

Canto inicial

 2 – Motivação

Anim.: Na comunidade todos tem dons e carismas. Quando uma pessoa tem um dom e o aplica na comunidade, dizemos que assumiu um ministério.

Leitor 1: Ministério é o serviço organizado na comunidade, onde todos colocam à disposição dos outros, os dons que receberam.

Leitor 2: Sabemos que todos somos Igreja e, por conseguinte, somos responsáveis para colaborar na evangelização.

Leitor 3: Se tenho o dom de falar, de ensinar, de fazer Jesus nascer no coração das pessoas, então posso ser um excelente catequista ou animador de grupo de adolescentes ou jovens.

Todos: De braços erguidos, a Deus ofertamos, aquilo que somos e tudo que amamos.

Os dons que nós temos compartilharemos, aqueles que sofrem, sorrir os faremos!

Anim.: São Paulo nos afirma que há diversidade de dons, mas um só é o Senhor. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor.

Leitor 1: Deus opera tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito para o proveito comum.

Leitor 2: A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria. A outro, uma palavra de ciência, a outro a fé, a outro a graça de curar doenças, a profecia, o discernimento.

Leitor 3: Todos esses dons são obras do Espírito e se multiplicarão se forem colocados a serviço da comunidade.

 Todos: Senhor, me seduzistes, bem lá dentro do meu ser.

Eis aqui a minha vida, por teu reino eu vou viver! (bis)

 Anim.: Se eu tenho o dom de ajudar as pessoas, de animá-las, de encorajá-las num momento de dor, então poderei exercer o ministério da visitação nas casas e hospitais.

Leitor 1: Se eu gosto de ler, de cantar, de tocar algum instrumento musical, poderei colaborar muito na liturgia.

Leitor 2: Se sei falar, proclamar a palavra, orientar um encontro, poderei exercer o ministério da coordenação da comunidade e celebrar os cultos.

Leitor 3: Posso colaborar como Ministro da Eucaristia, como mensageiro das capelinhas, como recepcionista na comunidade, como ajudante na organização e bem estar de todos.

Todos: Põe a semente na terra, não será em vão!

 Não te preocupes a colheita, plantas para o irmão!

 Anim.: Na comunidade ninguém está sobrando. Todos tem espaço para desempenharem sua missão. O bonito de uma comunidade é a valorização de cada pessoa

Todos: Se ouvires a voz de Deus, chamando sem cessar.

Se ouvires a voz do tempo, mandando esperar. A decisão
é tua (bis). São muitos os convidados (bis). Quase ninguém tem tempo (bis).

 3 – Olhando a vida

(O animador motiva alguém do grupo para contar um fato da vida que lembre o texto que foi lido. Pode ser algo real vivenciado pela pessoa; pode ser alguma história edificante que ouviu algum dia; pode ser o exemplo de algum santo. Vale aqui a criatividade das pessoas.
No final da exposição, os participantes poderão falar algo para complementar o fato da vida)

 4 – A palavra de Deus

Anim.: Cada pessoa tem uma missão na comunidade. Ninguém está sobrando. A riqueza da Igreja é a diversidade de carismas.

Canto de aclamação da Palavra de Deus

(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria do lugar)

Leitor 1: Proclama o texto de Ef 4,7-16

 5 – Momento da partilha

Este é um momento importante do encontro. Todos devem participar com suas opiniões e com seus questionamentos. O animador do grupo deverá ter lido este texto anteriormente e se preparado para ajudar o grupo. Em seguida, apresentamos algumas perguntas para ajudar na reflexão. O grupo é livre para seguir essa metodologia ou escolher outra.

a) Vamos identificar quais os carismas e ministérios existentes na comunidade.

b) Como é que funcionava a lei da terra?

c) Que outras conclusões podemos tirar deste texto?

Canto de animação

 6 – Momento de oração

Anim.: Senhor ajudai-nos a reconhecer os Dons de Deus em cada um de nossos irmãos, para que assim juntos consigamos construir o Reino de Amor. Rezemos.

Todos: Dai-nos ó Deus, a graça de partilharmos seus Dons.

Leitor 1: Para que Deus nos dê a consciência de que somos todos irmãos e, por isso, não podemos deixar que o preconceito e a divisão se instalem em nosso mundo.

Leitor 2: Para que os coordenadores de Grupo de Reflexão sejam perseverantes diante das dificuldades para reunir a comunidade.

Leitor 3: Para que nossos catequistas continuem a Missão de Evangelizar nossa crianças, tornando-as amantes e praticantes do Evangelho.

Leitor 4: Para que nossa comunidade tenha sempre pessoas de dispostas a colocarem seus dons a serviço dos irmãos, seja, no coral, nos movimentos de espiritualidade, nas pastorais e nos demais trabalhos da Igreja.

Leitor 5: Que os grupos de jovens não desanimem à primeira dificuldade de organizar-se, e sejam uma força que soma na construção do Reino.

Intenções livres

(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai;
ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).

Canto de animação

 7 – Gesto Concreto

Todos os encontros devem levar o grupo a assumir um gesto concreto. Deixamos os animadores livres para decidirem em grupo, o que fazer. É importante na escolha do ato a ser feito, que se leve em conta o que foi lido na Palavra de Deus e, depois, partilhado. São muitas as sugestões – tarefas pessoais: leitura; oração; boa ação… ou tarefas de cunho social: ajuda a alguém carente, doente, desempregado, afastado da comunidade. O que faremos nesses próximos dias? Usem de criatividade, preparem com alegria o gesto a ser feito.

 8 – Conclusão

O animador motiva para que todos venham no próximo encontro e pede, aos presentes, que convidem outras pessoas da comunidade.

************************************************************************

Família: Vocação para o amor
 

(O(a) animador(a) acolhe os participantes e manifesta sua alegria
em recebê-los para a reunião. O ambiente deve estar preparado
com a bíblia, flores, velas e algo que lembre a união Familiar).

1 – Oração inicial e acolhida
Anim.: Todos somos chamados para o amor. A família é a Igreja doméstica, comunidade dos chamados para o amor. Queremos neste segundo encontro pedir ao Senhor da messe que abençoe todas as nossas famílias. Iniciemos rezando:

Todos: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
(pode ser cantado o canto: em nome do Pai….)
C
anto inicial

2 – Motivação
Anim.: Neste segundo encontro, lembramo-nos da grande vocação familiar. Recordamo-nos da importante missão do leigo no mundo. “Sede fecundos, crescei e multiplicai-vos, enchei e dominai a terra” (Gn 1,28). Ser pai, ser mãe, constituir família, assumir o sacramento do matrimônio como Dom. Está aí a essência da vocação laical. “A família é a imagem de Deus que em seu mistério mais íntimo não é solidão, e sim família” (João Paulo II).

Leitor 1: A vocação laical tem sua origem nos sacramentos do batismo e da crisma. É a vocação que ocupa um lugar central na Igreja, define a missão da Igreja para o mundo. O leigo vive no meio do mundo como solteiro, casado ou consagrado. É chamado por Jesus para ser fermento na massa, sal e luz do
mundo.

Leitor 2: O matrimônio é uma maneira de viver a vocação laical. É o chamado para formar família: ser pai, ser mãe, gerar vida. A família é chamada a constituir a Igreja doméstica. É a expressão visível do amor de Cristo pela sua Igreja, sacramento de Cristo. É na família que é possível expressar as mais variadas formas de amor:

Todos: Abençoa, Senhor, as famílias. Amém! Abençoa, Senhor, a minha também! (bis)

Anim.: o amor entre os esposos – é na entrega mútua e no relacionamento amoroso que a esposa e esposo desenvolvem plenamente seus dons.

Leitor 1: o amor dos pais para os filhos: agradecidos a Deus pela continuidade do seu amor que se encarna nos filhos, os pais retribuem esse presente amando, protegendo e educando seus filhos para que se integrem na comunidade e na sociedade;

Leitor 2: amor dos filhos para com os pais: é a gratidão dos filhos pela graça de terem recebido a vida. Os filhos amam seus pais e os amparam em suas necessidades;

Leitor 3: amor entre os irmãos: é o amor entre aqueles que foram gerados pelos mesmos pais. É a fraternidade que começa em casa: amizade, companheirismo, solidariedade, partilha.

Todos: Abençoa, Senhor, as famílias. Amém! Abençoa, Senhor, a minha também! (bis)
Canto de animação

3 – Olhando a vida
(
O animador motiva alguém do grupo para contar um fato da vida que lembre o texto que foi lido. Pode ser algo real vivenciado pela pessoa; pode ser alguma história edificante que ouviu algum dia; pode ser o exemplo de algum santo. Vale aqui a criatividade das pessoas. No final da exposição, os participantes poderão falar algo para complementar o fato da vida)

4 – A palavra de Deus
Anim.: Veremos neste texto do livro de Gênesis que Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança. A criatura humana tem a missão de continuar a obra criadora.
Canto de aclamação da Palavra de Deus

(enquanto se canta, o animador poderá orientar uma dinâmica para que todos demonstrem seu amor à Bíblia: passá-la de mão-a-mão; levantá-la para que todos possam vê-la; fazer com que todos a beijem; incentivar para que todos tragam suas bíblias e a levantem nesse momento… ou usar de outra criatividade própria do lugar)

Leitor 1: Proclama o texto de Gn 1, 26-30

5 – Momento da partilha

Este é um momento importante do encontro. Todos devem participar com suas opiniões e com seus questionamentos. O animador do grupo deverá ter lido este texto anteriormente e se preparado para ajudar o grupo. Em seguida, apresentamos algumas perguntas para ajudar na reflexão. O grupo é livre para seguir essa metodologia ou escolher outra.

a) Como é que nós devemos entender a criação divina?
b) Homem e mulher são imagens de Deus. O que isto significa?
c) O que quer dizer: continuar a obra criadora de Deus?

Canto de animação

6 – Momento de oração
Anim.: Para que o Jubileu do nascimento de Cristo seja tempo de mudança,
a começar em nossas famílias. Por isso peçamos:

Todos: Abençoe, Jesus, nossas famílias

Leitor 1: Pelas famílias que vêm no diálogo a cura da maldade do mundo:

Leitor 2: Pelas famílias marginalizadas para que tenham sua dignidade respeitada e seus direitos valorizados:

Leitor 3: Para que nossas famílias sejam abençoadas e possam juntas levar o evangelho a todas as pessoas:

Leitor 4: Cristo, ensina-nos a partilhar o amor e o diálogo para que a nossa casa seja um lugar mais feliz:

Leitor 5: Para que nossas famílias consigam se manter firmes na fé, na unidade e no diálogo:
Intenções livres

(Concluir com a oração do Pai-Nosso; Glória-ao-Pai; ou outra oração própria para o momento. Lembramos que poderá ser rezada uma dezena do terço).
Canto de animação

7 – Gesto Concreto
Todos os encontros devem levar o grupo a assumir um gesto concreto.
Deixamos os animadores livres para decidirem em grupo, o que fazer. É
importante na escolha do ato a ser feito, que se leve em conta o que foi
lido na Palavra de Deus e, depois, partilhado. São muitas as sugestões
– tarefas pessoais: leitura; oração; boa ação… ou tarefas de cunho social: ajuda a alguém carente, doente, desempregado,afastado da comunidade. O que faremos nesses próximos dias? Usem de criatividade, preparem com alegria o gesto a ser feito.

8 – Conclusão
O animador motiva para que todos venham no próximo encontro e pede, aos presentes, que convidem outras pessoas da comunidade.


26 Respostas to “CELEBRAÇÕES VOCACIONAIS”

  1. Gostei muito destas celebrações. São bem participativas e envolvem a comunidade.
    Vou aproveitar bem no Mes de agosto.

  2. muito legais e pordutivas , estas celebraçoes sao bem participativas ..

  3. Para béns!
    São muito bonitas as celebrações vocional!
    Vamos celebrar em nossa comunidade religiosa com as irmãs. Todos os domingos nós relaizamos em nossa comunidade a Hora Santa Eucarística Vocacional, iremos rezá-las no nos próximos domingos!
    Muito obrigada pela partilha da oração!
    Fique com Deus!
    Com carinho!
    Ir.Urania Ferreria,cp
    Congregação das Irmãs Passionistas de São Paulo da Cruz.

  4. Obrigado pelas sugestoes de celebraçao vocacional, vai ajudar muito nossa paroquia, na celebraçao do mes vocacional, embora ja estejamos quase encerrando, mas vai ser de grande ajuda, vou enviar para a coordenaçao de liturgia da paroquia de Santo Antonio da cidade de guaratingueta. Fique com Deus.

  5. Gostaria que mandasse para mim o subsidio litúrgico para o mês de janeiro/2010 o mais rápido possivel.
    O subsidio de novembro e dezembro foi ótimo e me ajudou muito

  6. Paz e Bem!
    Realmente estes subsidios são exlentes. Parabens pela a grande ajuda.

  7. Gostaria de desejar um ótimo 2010 com muita paz, amor, sabedoria, humildade, disernimento para toda equipe litúrgica.
    Que em 2010 seremos parceiros novamente.
    Agora gostaria que me mandasse subsídio litúrgico para o mês de fevereiro 2010 o mais rápido possível.
    Obrigado, Juliana

  8. Gostaria que me enviasse o subsidio liturgico do mes de fevereiro 2010 o mais rápido possível.
    Obrigado, Juliana

  9. vcs teriam uma celebração vocacional,para o mes da mulher?teria como envi~-la?obrigado
    ildenymenezes@yahoo.com.br

  10. Gostaria que me desse uma resposta se vão mandar o subsidio litúrgico ou não para eu me programar.
    Obrigado, Juliana

  11. Gostaria que me enviasse o subsidio liturgico do mês de fevereiro 2010 o quanto antes.
    Obrigado, JUliana

  12. Parabens pelo material enviado. Mande me dinâmicas envolventes para jovens. Aguardo

  13. Boa tarde , gostaria que me enviasse subsídio litúrgico para o mês de maio 2010. Vocês estão de parabéns com o subsídio do mês de março e abril, foi tudo muito lindo.
    Fico no aguardo.
    Obrigado, Juliana

  14. Boa tarde, gostaria de parabenizar toda equipe pelos subsidios liturgicos do m~es de março e abril de 2010.
    Foi excelente de grande proveito.
    Agora gostaria que me mandasse do mes de maio de 2010.Fico no aguardo.
    Obrigado, JULIANA
    i

  15. Gostaria que me enviasse subsídios litúrgicos para os mesesde maio e junho de 2010, por favor

  16. Novamente torno a pedir subsídio litúrgico do mês de maio e junho 2010

  17. Muito boas as celebrações vocacionais, servem de inspiração para outras criatividades.

  18. Excelentes as celebrações do mês de agosto, práticas e bonitas.
    Gostaria que me mandasse do mês de setembro.
    Por ser o mês da bíblia preciso me preparar com antecedencia.
    Obrigado, Juliana

  19. Estou aguardando subsídio litúrgico do mês de setembro 2010.
    Obrigado, Juliana

  20. Como já pedi alguns dias atrás , estou aguardando subsídio litúrgico para o mês de outubro, porque em setembro eu pedi e vocês não mandaram.
    Obrigado, Juliana

  21. Bom dia estou aguardando o subsidio litúrgico do mês de outubro/2010 que eu pedi semana passada.
    Obrigado, Juliana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: